Interlocutores apostam que Temer deve indicar mineiro para Ministério da Cultura

Igor Gadelha

São Paulo

Interlocutores do presidente Michel Temer no Congresso Nacional apostam que ele deve indicar um mineiro para o Ministério da Cultura no lugar do deputado Roberto Freire (PPS-SP). O parlamentar paulista deixou o cargo nesta quinta-feira, 18, após o presidente ter sido citado na delação premiada dos donos do frigorífico JBS.

A bancada mineira no Congresso cobra um espaço na Esplanada dos Ministérios desde o início do ano. Coordenador da bancada, o 1º vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB), chegou a ameaçar romper com o governo Temer, caso o presidente não desse um ministério para algum parlamentar do Estado. Mas não cumpriu a promessa.

O argumento dos parlamentares mineiros é de que o Estado é o único que não tem nenhum representante hoje no primeiro escalão do governo. A bancada dizia, porém, que não queria que o presidente criasse um novo ministério apenas para conceder o comando a um político do Estado - mas desejava uma pasta já existente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos