Em ato em SP, Rui Falcão diz que 'governo Temer acabou envolvido em corrupção'

Valmar Hupsel Filho

São Paulo

A forte chuva que cai em São Paulo na tarde deste domingo, 21, frustrou a expectativa dos organizadores do protesto que pede a renúncia do presidente Michel Temer e a realização de eleições diretas. Apesar de dois trios elétricos e dois carros de som terem sido levados para a Avenida Paulista, os manifestantes não enchem uma quadra da via.

Por causa da chuva, os organizadores pedem que os oradores façam discursos rápidos, de cerca de três minutos, para que o ato seja abreviado.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão disse que "o governo Temer acabou envolvido em corrupção" e conclamou a realização de eleições diretas. "Sem legitimidade só lhe resta um caminho que é entregar ao povo a decisão de escolher seu próximo presidente", disse.

Já o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) defendeu o afastamento do presidente e pediu eleições diretas e a recuperação do processo democrático brasileiro. Ele ainda avaliou que os partidos da base aliada deverão se afastar do atual governo. "É uma questão de tempo", ressaltou Chinaglia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos