'Meu cenário base é que o presidente vai continuar', diz Meirelles

Anne Warth e Lorenna Rodrigues

Brasília

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta sexta-feira, 26, que trabalha com o cenário de que o presidente da República, Michel Temer, vai cumprir seu mandato e se manter no cargo até o fim de 2018. "Meu cenário base é que o presidente vai continuar", afirmou.

Meirelles fez as afirmações durante o 89º Encontro Nacional da Indústria da Construção, ao ser questionado sobre a crise política que ameaça a continuidade do governo. "Minha hipótese de trabalho é de continuidade do governo Temer, à medida que o País vai bem e a economia está crescendo. Não vamos aqui ficar discutindo essas questões. O importante é que o País está na rota certa", afirmou.

O ministro disse ainda que o importante é manter a continuidade da agenda de reformas, para ajustar a economia e aumentar a distribuição de renda. "Temos uma tendência, o que é normal, de que, em determinado momento, haja um pessimismo exagerado, que pode levar a decisões equivocadas", comentou. "É importante serenidade e equilíbrio nesse tipo de situação."

Meirelles destacou também a agenda de reformas implantada pelo governo já foi incorporada à agenda nacional. Segundo ele, a reforma previdenciária é uma necessidade e já é vista dessa forma, independentemente de posições contrárias ou favoráveis ao governo.

"A reforma da Previdência extrapola esse campo de debates", afirmou. Sem a reforma, segundo ele, as despesas com Previdência podem chegar a 80% do PIB em alguns anos. "Daqui a pouco, não haverá recursos para pagar mais nada, só para pagar aposentadoria", afirmou. "Estamos longe disso e na hora de fazer a reforma."

Sobre as mudanças na legislação trabalhista, o ministro avaliou como irrelevante o risco de um aumento do processo de "pejotização" do trabalhador. Segundo ele, essa possibilidade é limitada a algumas profissionais e seria inviável em fábricas com milhares de trabalhadores.

O ministro disse ainda que o governo tem condições de identificar empresas que prestem serviços para apenas uma companhia. "Pode-se estabelecer com facilidade uma contribuição previdenciária sobre o faturamento dessa empresa", afirmou. "À medida que isso se configure como tendência, essa distorção pode ser facilmente corrigida."

Meirelles destacou ainda que o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) mostrou um crescimento de 1,12% no primeiro trimestre deste ano comparativamente ao mesmo período de 2016. "Houve um momento de ajuste no segundo semestre do ano passado, mas, a partir do momento em que começou o crescimento, no primeiro trimestre, começou rápido", afirmou. "Esse crescimento de 1,12% no trimestre é um crescimento anualizado de quase 4,5%. Isso mostra que o Brasil vai crescer e tem capacidade de crescimento, sim."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos