Por haver 'confusão', Mendes pode revisar voto sobre prisão após 2º grau

Isadora Peron e Breno Pires

De Brasília

  • Roberto Jayme/Ascom/TSE

    O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal)

    O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal)

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), voltou a afirmar nesta sexta-feira (26) que pensa em revisar o voto sobre a decisão de decretar a prisão logo após sentença de segundo grau. De acordo com Mendes, há muita "confusão" em torno do assunto e o plenário da Corte poderia voltar a debater a questão para esclarecer alguns pontos.

"O que nós dissemos é que, numa decisão de Segunda Instância, é possível já autorizar a prisão. Isso que nós dissemos. Não dissemos que ela se torna obrigatória. Acho que está havendo uma certa confusão em torno disso", afirmou. Segundo ele, "o problema é que está havendo enxurrada de casos, há recursos plausíveis e se decreta desde logo a prisão".

Mendes também voltou a dizer que refletia sobre a posição expressada pelo ministro Dias Toffoli num julgamento sobre o tema, em outubro, quando este mudou o entendimento e sugeriu que a execução da pena começasse após uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos