Fachin nega pedido para adiar depoimento de Cunha à Polícia Federal

Isadora Peron e Breno Pires

Brasília

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido para adiar o depoimento do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no âmbito do inquérito que tem como alvo o presidente da República, Michel Temer. A decisão foi proferida depois do início da oitiva, realizada na sede da Polícia Federal em Curitiba nesta quarta-feira, 14.

Os advogados de Cunha tentaram adiar o depoimento alegando não terem tido acesso à íntegra do inquérito aberto com base na delação dos empresários do grupo J&F.

Até o horário marcado para o início do depoimento, 11 horas desta quarta-feira, Fachin não havia se manifestado sobre o pedido.

Cunha chegou à sede da Polícia Federal em Curitiba por volta das 10 horas vindo do Complexo Médico Penal de Pinhais na região metropolitana da capital paranaense, onde está preso desde outubro. ,

Seus advogados chegaram meia hora depois. As perguntas a Cunha foram elaboradas pela PF em Brasília, onde corre o inquérito contra Temer.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos