Alckmin diz que é preciso aguardar para se posicionar sobre Temer e Aécio

Daniel Weterman

São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta terça-feira, 20, que é preciso aguardar os próximos desdobramentos do inquérito contra o presidente Michel Temer (PSDB) para o PSDB ter um novo posicionamento sobre a permanência no governo.

Durante entrevista coletiva nesta manhã, questionado se as conclusões prévias da Polícia Federal indicando corrupção passiva por parte de Temer eram um fato novo para a decisão do partido permanecer ou desembarcar do governo, Alckmin sinalizou que ainda é preciso cautela. "Vamos aguardar os desdobramentos e o dia de hoje", disse o tucano. Na segunda-feira, 19, Alckmin disse que o partido pode decidir sair do governo "a qualquer momento".

Sobre o pedido de prisão contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado do cargo e da presidência nacional do partido, o governador não quis se posicionar. A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje se mantém o afastamento e se aceita um pedido de prisão contra o senador. "Vamos aguardar o pronunciamento do STF", disse Alckmin.

O governador não respondeu quando perguntado se o PSDB deveria dar apoio incondicional a Aécio em eventual votação do pedido de prisão no Senado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos