Após trocas na CCJ, PP orienta voto contra denúncia

Renan Truffi, Daiene Cardoso e Julia Lindner

Brasília

O PP, partido da base aliada do governo Michel Temer, decidiu orientar negativamente ao prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), durante sessão de votação nesta quinta-feira, 13. O partido tem seis membros titulares na comissão e realizou diversas trocas para garantir votos a favor do Palácio do Planalto.

Antes da votação, cada líder de bancada dará orientação de como os parlamentares do partido devem votar em relação ao pedido da Procuradoria-Geral da República. Foram dois dias de sessão de debates e 78 discursos no plenário da CCJ, que somaram mais de 18 horas de discussão. A maioria dos discursos foi de deputado defendendo a admissibilidade da denúncia.

"A denúncia mostra que o presidente se meteu em enrascada", disse o petista Wadih Damous (RJ). O deputado afirmou que a denúncia da PGR não veio "contaminada" e que a população merece conhecer a verdade. "O povo brasileiro exige de nós que essa denúncia seja acatada", reforçou.

Pelo bloco governista, defenderam o presidente Michel Temer os deputados Carlos Marun (PMDB-MS) e Alceu Moreira (PMDB-RS). Em seu discurso, Moreira disse que admitir a denúncia seria "jogar um país no fosso do futuro sem saber quais são as consequências, apenas porque o presidente recebeu alguém fora da agenda". "É ruim com ele, é muito pior sem ele", pregou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos