PMDB ou DEM? Após encontro com Temer, descontentes do PSB se reúnem com Maia

Igor Gadelha

Brasília

  • Igo Estrela/Folhapress

    DEM, de Maia (e), e PMDB, de Temer (d), estão disputando os dissidentes do PSB

    DEM, de Maia (e), e PMDB, de Temer (d), estão disputando os dissidentes do PSB

O deputado Danilo Forte (PSB-CE) esteve reunido na manhã desta terça-feira (18) com Rodrigo Maia (DEM-RJ) na residência oficial do presidente da Câmara, em Brasília, para discutir a possível migração de deputados do PSB para o DEM. Além dele, participaram do encontro parlamentares do DEM, como Pauderney Avelino (AM), e do PSB, como a líder do partido na Câmara, deputada Tereza Cristina (MS). Mais cedo, a líder pessebista esteve com o presidente Michel Temer, que tenta conter a debandada e fortalecimento do partido de Maia, que é o primeiro da linha sucessória da Presidência.

Como antecipado pelo jornal O Estado de S. Paulo em junho, o encontro faz parte da tentativa de Maia angariar parte da bancada para o DEM. Segundo Forte, o convite para a reunião partiu do próprio presidente da Câmara para aos deputados do PSB descontentes com a direção nacional, que somam entre 16 e 18 parlamentares, para discutir a possível migração deles para o DEM. As conversas já acontecem desde o primeiro semestre deste ano. "O momento é oportuno para aglutinar forças que pensam de forma semelhante", afirmou Forte.

De acordo com o pessebista, os dissidentes do partido e o DEM discutem a elaboração de um novo programa partidário, além de uma possível mudança do nome do DEM. Caso a mudança de nome se confirme, será a segunda vez que o DEM faz isso. Até 2008, a legenda se chamava PFL (Partido da Frente Liberal).

Reforma

Na saída do encontro, Forte disse a jornalistas que há um acordo entre lideranças da base aliada e da oposição para que a reforma política antecipe, de março de 2018 para setembro ou outubro deste ano, a janela que permite parlamentares mudarem de partido sem risco de perderem o mandato. Segundo ele, há um "inconformismo muito grande" por parte de vários deputados da base e da oposição com as atuais legendas às quais estão filiados. O projeto será votado a partir de agosto pelo Congresso Nacional.

"A reforma política vai antecipar para setembro ou outubro a janela. Há um inconformismo muito grande tanto em bancadas da base aliada quanto da oposição", afirmou Forte em entrevista, logo após participar de reunião nesta manhã na residência oficial de Maia, em Brasília.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos