Correção: Aprovação de Temer atinge nível mais baixo desde a redemocratização

Julia Lindner

Brasília

A nota publicada às 11h02 contém uma incorreção. A maior taxa de rejeição do governo José Sarney foi de 64%, em julho de 1989, e do governo Dilma Rousseff foi de 70%, em dezembro de 2015, e não como constava. Segue texto corrigido:

Após a delação premiada do grupo JBS, a popularidade do governo do presidente Michel Temer caiu fortemente entre março e julho deste ano e atingiu o nível mais baixo desde a redemocratização, de acordo com pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quinta-feira, 27.

A aprovação do governo do presidente Michel Temer caiu de 10% para 5% nos últimos quatro meses, de acordo com a pesquisa, ante 7% na gestão Sarney, em junho e julho de 1989; 12% no final do governo de Fernando Collor, em agosto de 1992; e 9% no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, em junho e dezembro de 2015.

O porcentual de rejeição é um dos mais altos registrados desde a gestão Sarney. A avaliação negativa do governo Temer aumentou de 55% para 70%, entre março e julho deste ano, ante 64% no governo Sarney, em julho de 1989; 59% no final do governo de Fernando Collor, em agosto de 1992; e 70% no governo Dilma, em dezembro de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos