Sessão da comissão da reforma política é suspensa por 10 minutos após tumulto

Felipe Frazão e Isadora Peron

Brasília

Após um tumulto no plenário, o presidente da comissão especial da reforma política, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), suspendeu nesta quinta-feira, 10, a sessão por 10 minutos para que os líderes partidários tentassem entrar em acordo.

Partidos como PSOL, PT, PCdoB e PHS pedem que um destaque contrário à adoção do sistema distrital misto nas eleições seja votado nominalmente pelos deputados.

Vieira Lima promoveu uma votação simbólica, quando não é possível saber o posicionamento de cada parlamentar, e proferiu o resultado em meio a protestos dos partidos de esquerda. O resultado manteve o texto base do relator.

Por outro lado, a base governista argumentou que o sistema proposto pelo relator Vicente Cândido (PT-SP) já havia sido votado na véspera, e que na ocasião todos os deputados se posicionaram sobre o tema.

"A votação já foi feita. Esse presidente só volta atrás se houver acordo entre os líderes. Ao acordo de plenário eu me curvo, a posições pessoais, não", disse Vieira Lima, anunciando a suspensão por 10 minutos.

Caso os líderes cheguem a um entendimento nesse prazo, ele colocará novamente em votação o destaque que pede a supressão do sistema distrital misto do texto base - o que manteria, de 2022 em diante, o sistema proporcional em vigor atualmente. Do contrário, será mantida a votação simbólica já realizada, que aprovou o distrital misto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos