Bauer: Janot atua de forma açodada; temos direito de duvidar da sua conduta

Renan Truffi e Thiago Faria

Brasília

O líder do PSDB no Senado, senador Paulo Bauer (SC), minimizou o oferecimento de uma segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, apresentada nesta quinta-feira, 14, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF). Bauer defendeu Temer e disse que a implicação de um auxiliar do Janot, o ex-procurador Marcelo Miller, no acordo de delação premiada dos irmãos Batista, da JBS, permite que os parlamentares duvidem de sua conduta.

"Eu considero que o procurador-geral da República, embora tenha poderes para apresentar as denúncias, na verdade, está atuando de uma forma um tanto quanto açodada, de uma forma um pouco inoportuna já que eles está em final de mandato", argumentou. "Hoje temos o direito de duvidar da sua postura e da sua conduta em vista dos fatos que estão hoje publicados com relação à delação dos diretores da JBS", complementou.

O senador tucano disse acreditar também que a base de Temer vai barrar, mais uma vez, a denúncia contra o presidente da República. "Tendo em vista a votação anterior feita naquele primeiro episódio, eu tenho muita convicção que a votação repete e possivelmente aumente em favor do presidente", disse.

Segundo a peça protocolada por Janot, Temer, ministros e até líderes de seu governo no Congresso praticaram ações ilícitas em troca de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados. O presidente é acusado de ter atuado como líder da organização criminosa desde maio de 2016.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos