Entidade critica agressão de polícia a fotógrafa em protesto contra mostra

São Paulo

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) criticou, nesta quarta-feira, 13, a agressão sofrida pela repórter fotográfica Isadora Neumann, do jornal Zero Hora, quando fazia cobertura de protesto contra o fechamento da exposição Queermuseu: Cartografia da Diferença na Arte Brasileira, em Porto Alegre.

Isadora foi atingida com spray de pimenta por um policial integrante da Brigada Militar enquanto registrava a manifestação, na terça-feira, 12, à noite, na frente do Santander Cultural, no centro da capital gaúcha. A agressão foi registrada em vídeo pelo site do jornal.

"É preciso que os agentes de Estado estejam preparados para atuar em situações como essas, de protesto popular, sem agredir os profissionais de imprensa. Infelizmente, os policiais têm demonstrado total falta de preparo, colocando em risco a integridade física dos jornalistas e prejudicando seu dever de levar informação aos cidadãos", disse a nota da ANJ.

A entidade pediu apuração dos fatos e cobrou que o agressor seja punido. Isadora foi atingida no rosto pelo spray de pimenta. Segundo a Zero Hora, o incidente aconteceu no fim da manifestação contra a suspensão da exposição.

A mostra Queermuseu, uma exposição sobre diversidade sexual, foi suspensa pelo Santander Cultural após repercussão negativa nas redes sociais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos