Operação da PF investiga prefeito de Cuiabá

Fábio Serapião, Luiz Vassallo e Julia Affonso

São Paulo e Brasília

A Operação Malebouge, deflagrada nesta quinta-feira, 14, pela Polícia Federal realizou buscas na residência e no gabinete do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

A ação da PF foi ordenada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), que acolheu requerimento da Procuradoria-Geral da República.

Emanuel é um dos políticos que aparecem no vídeo gravado pelo ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) pegando dinheiro supostamente de propina em uma sala da Casa Civil no Palácio Paiaguás, sede do Executivo estadual.

As cenas, gravadas em 2014, mostram Emanuel enchendo os bolsos do paletó de maços de dinheiro vivo. Era muito dinheiro que ele até se atrapalhou, notas caíram no chão, mas o peemedebista logo se agachou e recuperou tudo. O prefeito foi deputado estadual em Mato Grosso por quatro mandatos.

O ministro Fux chamou de "delação monstruosa" as revelações do ex-governador.

A Operação Malebouge mira também pelo menos sete deputados estaduais, cinco conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso e o ministro Blairo Maggi (Agricultura), ex-governador que antecedeu Silval Barbosa no Palácio Paiaguás.

Defesa

A Assessoria de Imprensa do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) informou que ele ainda não se manifestou sobre a operação da Polícia Federal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos