Pacheco diz não ver, a princípio, impedimento de Bonifácio continuar relator

Igor Gadelha e Daiene Cardoso

Brasília

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), afirmou nesta quarta-feira, 4, que, a princípio, o deputado Bonifácio de Andrada (MG) poderá continuar como relator da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer no colegiado, mesmo se pedir licença do PSDB. O peemedebista ponderou, contudo, que fará uma análise a fundo do regimento para confirmar essa possibilidade.

"Ele estará afastado do PSDB, mas não estará sem partido", afirmou Pacheco. O presidente da CCJ ressaltou, porém, que ainda não foi comunicado por Andrada ou pelo PSDB sobre o afastamento do tucano da legenda à qual é filiado. A licença de Andrada, porém, já foi anunciada mais cedo pelo o secretário-geral do PSDB, o deputado federal Silvio Torres (SP).

Prazos

Pacheco afirmou que dificilmente a denúncia contra Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) será votada na próxima semana, antes do feriado de 12 de outubro. Nesta quarta-feira, os advogados dos três entregaram as defesas. Segundo o presidente da CCJ, a partir desta quinta-feira, 5, começará a contar o prazo de cinco sessões para que o relator apresente seu parecer sobre a peça acusatória.

O peemedebista afirmou que, se o relator entregar o parecer na próxima semana, será possível votá-lo na CCJ na semana após o feriado, entre os dias 16 e 20 de outubro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos