Temer discute votação de MP sobre leniência com ministros e parlamentares

Carla Araújo

Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    O presidente Michel Temer (direita) recebeu os ministros Moreira Franco (esquerda) e Eliseu Padilha (centro) no Palácio do Jaburu, em Brasília

    O presidente Michel Temer (direita) recebeu os ministros Moreira Franco (esquerda) e Eliseu Padilha (centro) no Palácio do Jaburu, em Brasília

Em reunião no Palácio do Jaburu neste domingo (8), o presidente Michel Temer (PMDB) tratou com ministros mais próximos e líderes do governo na Câmara e no Senado da agenda da semana curta, com foco na articulação para que o Congresso vote nesta semana a MP 784, referente ao acordo de leniência envolvendo o Banco Central.

Segundo relatos, Temer foi alertado pelos líderes de que o feriado da quinta-feira (12) --dia de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil-- pode atrapalhar a votação da medida e pediu empenho nas articulações.

O presidente também previu que não conseguirá repetir nessa semana a romaria de receber parlamentares, já que muitos nem estarão em Brasília. Apesar disso, ele ainda não traçou estratégias de agendas externas.

Na semana passada, o presidente concentrou seus encontros com parlamentares no início da semana e depois teve compromissos em Belém (PA) e Alcântara (MA).

Na conversa deste domingo, Temer também quis saber sobre os andamentos dos trabalhos na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara e foi avisado de que a leitura do parecer do deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG) pode ficar apenas para depois do feriado.

Segundo relatos, Temer reiterou que a decisão cabe ao presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco, e se mostrou tranquilo quanto aos andamentos da denúncia contra ele e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretária-Geral) por formação de quadrilha e obstrução de Justiça.

Estiveram no Jaburu com Temer, além de Moreira e Padilha, o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o líder do governo no Congresso, André Moura, e na Câmara, Aguinaldo Ribeiro.

Além de tentar tocar a MP 784, o grupo também discutiu a possibilidade de fazer avançar a MP 786, que cria fundo com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para apoiar a elaboração de projetos de infraestrutura no País.

O foco, entretanto, segundo fontes, será a MP 784, que trata de forma abrangente do processo punitivo a instituições reguladas pelo BC e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A medida define, entre outros aspectos, os parâmetros para multas às instituições e os delitos que são alvo de punições. No BC, é encarada como uma ferramenta de modernização do sistema financeiro, em sintonia com o que é adotado no exterior.

Agenda

Na manhã desta segunda-feira (9), Temer vai receber no Palácio do Planalto o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. Em seguida, ele terá uma audiência com ministro da Educação, Mendonça Filho.

À tarde, até o momento, há apenas um compromisso, uma reunião com o senador José Medeiros (PODE-MT), às 15h.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos