Furtos de cabos telefônicos deixam linhas mudas na zona sul de São Paulo

Renata Okumura

São Paulo

Moradores da Vila Santa Catarina, na zona sul, reclamam que frequentemente os cabos telefônicos da Vivo são alvo de vandalismo. "Há 18 anos, tenho uma firma na Rua Latif Fakhouri. Os furtos de cabeamento telefônico ocorriam, em média, três vezes ao ano. Mas agora, a situação está mais crítica: entre o fim de setembro e outubro, os cabos foram roubados quatro vezes. Já fiquei quase duas semanas com o telefone mudo", reclamaram os empresários Toni Reinhold e Daniel Augusto.

Eles cobram ações da empresa para evitar este tipo de ocorrência no bairro. "Quem vai nos ressarcir com relação aos prejuízos e todas as vendas perdidas?", questionou Augusto.

A Vivo informa que, de janeiro a outubro de 2017, foram furtados 398,2 quilômetros de cabos telefônicos da operadora no município de São Paulo, sendo 7,9 quilômetros na região de Americanópolis.

No mesmo período do ano passado, foram furtados 13,4 quilômetros de cabos telefônicos em Americanópolis - e no município de São Paulo, 461,4 quilômetros de cabos.

"Os roubos acontecem com maior frequência de madrugada e envolvem artifícios como o uso de carros com adesivos falsos, escadas e até sinalização do local. O furto de cabos causa prejuízos principalmente para consumidores, que sofrem com a interrupção do serviço - caso dos clientes nas imediações da Rua José Custódi e da Rua Latif Fakhouri", destacou a nota da operadora.

A Vivo reforça que ao identificar uma situação suspeita, a população pode denunciar a ação, com total sigilo, no canal 0800 14 44 44. Também é possível acionar a Polícia Militar para esses casos ligando para o 190.

Zona leste

Na zona leste, moradores da Vila Síria também já sofreram com o roubo de cabos de telefonia. Além disso, é grande o registro de vandalismo na rede semafórica. "Semáforos ficam queimados frequentemente na Avenida Deputado Doutor José Aristodemos Pinotti, no Parque Residencial D’Abril. O furto de fios prejudica pedestres e motoristas. Será que não é possível melhorar o cabeamento para evitar estas ocorrências?", pediu a moradora Tereza Cristina.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que,os cruzamentos da Avenida Deputado Doutor José Aristodemo Pinotti têm sido alvo de reincidentes casos de vandalismo e furtos. De janeiro deste ano até esta segunda-feira, foram registrados 18 casos de furtos na região.

Região central

Na região central da cidade, moradores reclamam de semáforos para pedestres apagados na Avenida Ipiranga com a Rua Major Sertório. "Desde o fim de agosto, este problema ocorre. Com isso, é grande o risco ao atravessar na faixa de pedestres, pois não se sabe se o farol está verde para o pedestre", disse André Soejtoery-Kiss.

Ele reforça que questionou agentes da CET que estavam na região. "Eu questionei dois agentes de trânsito que estavam dando manutenção em uma das caixas de controle dos semáforos na esquina da Rua Major Sertório com a Avenida Ipiranga", destacou ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos