Secretário Nacional de Justiça pede demissão e número 2 da PF assume cargo

Vera Rosa

Brasília

Um dia após a troca no comando da Polícia Federal, o Secretário Nacional de Justiça, Astério Pereira dos Santos, pediu demissão nesta quinta-feira, 9. Segundo afirmou o ministro da Justiça, Torquato Jardim, ele alegou motivos de "foro íntimo" para deixar o cargo.

Ainda de acordo com o ministro, o delegado Rogério Galloro, atual diretor executivo da PF, será o novo Secretário Nacional de Justiça. Ele era um dos cotados para substituir o delegado Leandro Daiello na direção-geral da PF, mas foi preterido. Fernando Segovia acabou sendo o escolhido pelo presidente Michel Temer.

Segundo Torquato, a "substituição não tem qualquer relação com a troca da PF". Embora Segóvia não tenha sido uma indicação sua para o cargo, o ministro negou ter ficado contrariado com a escolha. Torquato defendia o nome de Galloro, que também acaba de ser escolhido para integrar o Comitê Executivo da Interpol.

"Fiquei surpreso com a interpretação da a minha nota, em que digo o óbvio. Quem nomeia é o presidente da República, a decisão final é sempre dele", disse.

Perfil

Além de Torquato, o nome de Galloro para chefiar a PF era defendido pelo antecessor, Leandro Daiello. Ele ingressou na PF em 1995. Com mais de 22 anos de carreira, o delegado já ocupou postos estratégicos na instituição. Entre abril de 2011 e junho de 2013 foi adido da PF nos Estados Unidos. Ele também foi superintendente regional em Goiás (outubro 2007/janeiro 2009).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos