Alckmin terá de decidir sobre Aécio e enfrentar falta de agenda, diz especialista

André Ítalo Rocha

São Paulo

O cientista político Bolívar Lamounier, ligado ao PSDB, afirmou nesta segunda-feira, 4, que o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), caso se confirme como próximo presidente do partido, terá dois grandes desafios para se viabilizar como um candidato competitivo à Presidência da República. O primeiro é tomar uma decisão definitiva sobre a situação do senador Aécio Neves (MG) e o segundo é enfrentar a crítica de que os tucanos não têm uma agenda programática.

"Alckmin não pode ignorar o Aécio como um fator de corrosão dentro do partido", disse o cientista político, em seminário organizado pela Amcham nesta segunda-feira, sobre perspectivas políticas para o Brasil em 2018. "Ou defende ou tira", sugeriu Lamounier.

Ele declarou ainda que Alckmin terá de mostrar que o PSDB tem, sim, uma agenda bem definida para o País. "O PT roubou a agenda do PSDB e o PSDB nem deu queixa na delegacia", brincou o cientista político. "Eu e um grupo de pessoas do PSDB apresentamos uma tentativa de proposta de agenda ampla, mas isso estranhamos desapareceu", lamentou.

Lamounier também comentou a possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser preso antes da eleição. Segundo ele, se a prisão ocorrer no primeiro trimestre, haverá protestos de seus eleitores, mas isso tende a se perder até chegar o período de campanha. No entanto, se o petista for preso em uma data próxima da eleição, isso "poderia ter o efeito de Perón no exílio, que influenciava decisivamente a eleição na Argentina".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos