Não podemos substituir políticos por funcionários públicos, diz Gilmar Mendes

Rafael Moraes Moura

Brasília

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, disse na manhã desta terça-feira, 5, que o Brasil não pode pensar em substituir a classe política por juízes ou promotores nem pode fazer com que todos os políticos sejam vistos como "corruptos".

"Precisamos, inclusive, dos profissionais da política. De um tempo para cá, e já faz muito tempo, precisamos dessas pessoas que se dedicam integralmente à atividade política e que têm todo um aprendizado especial. Não podemos pensar em substituir os políticos por funcionários públicos, ainda que graduados como juízes ou promotores", disse Mendes a jornalistas, depois de participar do "Seminário Poder Judiciário e Eleições: desafios para o fortalecimento da democracia", em Brasília.

A fala de Gilmar Mendes ocorre num momento em que se ventila nos bastidores a candidatura ao Palácio do Planalto de nomes que não pertencem à classe política, como o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa e o apresentador de TV Luciano Huck - Huck, no entanto, já avisou que não pretende ser candidato nas próximas eleições.

"Temos de ter a política limpa, ativa, mas não podemos fazer isso de lenda política ou tentar fazer com que todos os políticos sejam considerados elementos negativos da sociedade ou corruptos", completou o presidente do TSE.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos