PUBLICIDADE
Topo

Meirelles nega que programa do PSD tenha 'conotação eleitoral'

Renan Truffi e Idiana Tomazelli

Brasília

21/12/2017 15h08

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou que o programa partidário do PSD, que será exibido nesta quinta-feira, 21, em cadeia de rádio e televisão, tenha "conotação eleitoral". Em entrevista coletiva na sede do partido, o ministro relativizou o fato de ser a principal estrela da inserção comercial. Ele admite, no entanto, que pode ser candidato à Presidência da República.

"No momento, estou concentrado no meu trabalho como ministro da Fazenda. O programa do partido não tem necessariamente conotação de disputa eleitoral", disse. "Não estou ainda na fase de ter chegado a uma conclusão sobre entrada em eleição. Sou filiado ao PSD, e o partido pediu que eu falasse sobre trabalho. Estou aproveitando a hora do almoço, fora do horário de trabalho, para falar sobre o programa", complementou.

Meirelles tem dito que só irá decidir no final de março do ano que vem, se vai ou não disputar as eleições de 2018. Apesar disso, ele é o principal protagonista da inserção do partido. Dos 10 minutos de duração da propaganda, o ministro da Fazenda aparece por aproximadamente 8 minutos. No vídeo, Meirelles aparece descontraído, sem paletó e gravata, destacando pontos de sua vida pessoal, como o fato de ter estudado em escola pública e ter mãe professora.

Diferenças regionais

O ministro disse ainda que é "normal" que existam diferenças regionais, quando perguntado sobre o fato de não ser conhecido em regiões do Norte e Nordeste do País. "É absolutamente normal que existam regiões que prefiram outras candidaturas, regiões mais beneficiadas na questão social no passado", respondeu.

"Diferenças regionais são legítimas. O governo deve olhar com cuidado, independentemente de eleição", disse.