Cármen Lúcia pede inspeção urgente em presídio de Goiás após rebelião

Amanda Pupo e Fabio Serapião

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu que o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás realize inspeção e envie urgentemente ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) relatório sobre a situação dos presos do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO). O TJ tem até 48 horas para atender o pedido da ministra.

Um confronto ocorrido na segunda-feira, 1º, entre detentos do regime semiaberto do presídio deixou nove mortos, todos carbonizados, sendo que dois também foram decapitados. A Polícia Militar recapturou 143 presos, e 105 são considerados foragidos.

Além de pedir que seja feita uma nova inspeção, cujas informações coletadas devem ser enviadas ao CNJ, Cármen pediu que a Justiça do Estado ainda envie dados de inspeções realizadas anteriormente no Complexo de Aparecida de Goiânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos