Vacinação fracionada contra febre amarela começa com dúvidas e filas em São Paulo

Paula Felix e José Maria Tomazela

São Paulo e Sorocaba

  • Peter Leone/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo

    25.jan.2018 - Fila para vacinação contra a febre amarela na UBS Parque Boa Esperança, na zona Leste de São Paulo

    25.jan.2018 - Fila para vacinação contra a febre amarela na UBS Parque Boa Esperança, na zona Leste de São Paulo

O primeiro dia de vacinação contra a febre amarela com a dose fracionada teve formação de fila ainda na madrugada e pessoas que buscaram a Unidade Básica de Saúde (UBS) sem a senha distribuída pela Secretaria Municipal de Saúde na zona leste de São Paulo. A campanha teve início nesta quinta-feira, 25, e tem como foco 20 distritos das zonas leste e sul da capital. A dose fracionada mantém a pessoa imunizada por até oito anos.

Na UBS Jardim Nossa Senhora do Carmo, no Parque do Carmo, o primeiro da fila era o paisagista Edson Santana, de 31 anos, que saiu de Itaquera, também na zona leste, e chegou ao local às 3 horas. "No meu bairro, as pessoas estavam chegando às 17 horas para passar a noite. Resolvi tentar aqui. Minha maior preocupação é a minha filha de 5 anos."

Mas a unidade não estava ofertando o imunizante para quem não era atendido na UBS e só distribuía senhas para quem estava com comprovante de residência ou o cartão que comprovasse que o paciente já era atendido no local.

Veja também:

Isso fez com que várias pessoas desistissem, entre elas Santana e a família, e que uma nova fila com pessoas sem a senha se formasse. Embora mais de 100 pessoas estivessem no local, a vacinação teve início sem confusão por volta das 8 horas.

A balconista Eldiene Mendes da Silva, de 37 anos, recebeu a senha na quarta-feira e foi antes do horário marcado, às 8 horas, para tomar a vacina. Ela estava tranquila em relação à imunização. "Seis pessoas da minha família receberam a senha para tomar hoje. Não estou preocupada com a doença e não estava enfrentando fila para tomar essa vacina." Ela disse também que não via problema em tomar a dose fracionada.

Também com a senha, o tecnólogo Hélio Mendes, de 34 anos, foi um dos primeiros a ser vacinado e estava satisfeito com a dose fracionada. A aplicação em um feriado o ajudou. "Não estava conseguindo tomar a vacina por causa do trabalho. Cheguei aqui umas 6 horas e não tem problema ser dose fracionada. Depois, toma de novo. É só não perder o prazo."

Interior

As primeiras doses fracionadas da campanha de vacinação contra a febre amarela no Estado de São Paulo foram aplicadas alguns minutos após as 6 horas da manhã desta quinta-feira, 25, em São José dos Campos, interior paulista. De acordo com a prefeitura, apesar da intensa campanha feita com apoio dos meios de comunicação para evitar correria, já que a vacina está sendo oferecida em 40 unidades, às 5 horas da manhã havia fila em muitos postos.

O município mobilizou cerca de mil funcionários para a vacinação e conta ainda com a ajuda de voluntários, principalmente alunos de enfermagem de universidades da região. Por volta das 9h30, as filas tinham diminuído. A imunização prossegue até as 17 horas. Em São José, a campanha se estende ao sábado e ao domingo.

Em Taubaté, na mesma região, a vacinação começou às 8 horas, mas as quatro principais unidades vão atender até as 20 horas. Outras 36 cidades do Vale do Paraíba e litoral norte de São Paulo já estão aplicando a vacina. Nessa região do Estado, a meta é imunizar 2 milhões de pessoas.

A campanha prossegue até 17 de fevereiro e, aos sábados, as unidades permanecem abertas para mutirões de vacinação. As cidades foram escolhidas conforme critérios da Vigilância Epidemiológica, considerando a proximidade de matas e a circulação de pessoas provenientes de áreas de risco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos