Concessão prevê aumento de até 20% dos semáforos em SP

Fabio Leite

São Paulo

A gestão do prefeito João Doria (PSDB) lança nesta sexta-feira, 16 um edital de chamamento público para receber estudos do setor privado para viabilizar a privatização da rede semafórica da capital paulista, que é da década de 1980.

O objetivo é fazer um longo contrato de concessão no qual a empresa terá de investir em tecnologia para modernizar até 85% dos 6.399 semáforos de São Paulo, alvos constantes de vandalismo e apagões. O investimento necessário está estimado em R$ 1 bilhão.

Hoje, somente 600 semáforos têm automação em tempo real, ou seja, o tempo de abertura e fechamento é controlado a distância de um centro de operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Os novos aparelhos também vão controlar a velocidade dos carros e farão a contagem dos veículos no cruzamento, o que, segundo a Prefeitura, permitirá modificar a programação para que os semáforos fiquem abertos mais ou menos tempo, conforme o trânsito da região.

Segundo o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, estima-se um ganho de até 20% na fluidez do trânsito com a adoção de semáforos inteligentes. Ainda de acordo com ele, a eficiência do controle de tráfego nos corredores de ônibus pode reduzir em até 10% a frota de coletivos necessária para atender a demanda de passageiros da capital.

Além de modernizar a rede, a CET estima ampliar em até 20% o número de semáforos na cidade, principalmente os equipamentos destinados a travessia de pedestres, e em vias novas, como a extensão da Avenida Chucre Zaidan, na zona sul.

Com a modernização do parque semafórico os equipamentos vão contar com câmeras e serão interligados à central, permitindo também mais agilidade nos reparos e mudança da programação semafórica. Segundo Avelleda, nos cruzamentos mais perigosos da cidade, os semáforos também poderão fazer a fiscalização de velocidade dos veículos.

O prefeito João Doria ressaltou que a modernização da rede deverá reduzir os casos de furto e vandalismo dos equipamentos. Só no ano passado a CET registrou 761 casos de furto ou vandalismo de cabos e controladores de semáforo, quase 10% a mais do que em 2016. Ao todo, cerca de 48 quilômetros de cabos foram furtados em 2017.

"Com o programa da PPP nós teremos sistemas muito mais modernos, mais eficientes tecnologicamente e não terá um fio acessível nem a pé nem de escada. Será impossível acessar os fios para roubá-los", disse Doria, que anunciou a ideia da PPP pela primeira vez em julho do ano passado, em meio a uma série de falhas em semáforos.

Prazos

Os interessados terão até o dia 2 de abril para apresentar os estudos. A gestão Doria pretende lançar o edital da concessão até o fim do primeiro semestre para que o contrato comece a ser executado no ano que vem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos