Eleição é questão pequena perto da intervenção no Rio, diz Moreira Franco

Fernanda Nunes

  • Felipe Rau/Estadão Conteúdo

    O ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco

    O ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco

O Ministro-chefe da secretaria-geral da Presidência da República, Moreira Franco (MDB), afirmou nesta quinta-feira (22) que as eleições presidenciais de 2018 são uma causa muito pequena perto dos episódios de violência no Estado do Rio de Janeiro.

Ele negou que a intervenção federal na segurança fluminense tenha fins eleitoreiros e que o objetivo seja favorecer o presidente Michel Temer (MDB) em uma possível candidatura.

"Não há compromisso e preocupação tão pequena quanto querer subordinar uma política pública essencial e urgente para o Brasil como qualquer missão de natureza eleitoral", afirmou.

Há a expectativa do governo, no entanto, de que a intervenção da segurança do Rio agrade a população. "As pessoas do Rio estão engajadas em viver em paz", disse o ministro.

Moreira afirmou também que o presidente Temer recomendou aos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, "que não faltasse recurso" para financiar a intervenção federal no Estado.

Segundo o ministro, a criação do ministério da Segurança Pública, recém anunciada, dá a dimensão da visão do governo sobre a violência no País. "A operação não é localizada. Está no Brasil inteiro. Daí o ministério para coordenar e preservar o direito da sociedade civil de ir e vir.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos