'Justiça que tarda é uma justiça que falha', diz Raquel Dodge

Teo Cury, Amanda Pupo e Luiz Fernando Teixeira

Brasília e São Paulo

  • AFP PHOTO / EVARISTO SA ORG XMIT: ESA912

A procuradora-geral Raquel Dodge disse nesta terça-feira (3) que "Justiça que tarda é uma Justiça que falha". A PGR criticou o "exagero" das instâncias recursais.

A 24 horas do Dia D de Lula, que se agarra a um pedido de habeas corpus preventivo em pauta no Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira, 4, Raquel disse que o julgamento na Corte máxima é um dos mais importantes da história e "vem na esteira de uma modificação da Constituição na expectativa de garantir resolutividade ao sistema criminal do Brasil".

"A presunção de inocência é uma garantia pessoal importante em todos os países e no sistema brasileiro", ela disse, durante a sessão do Conselho Nacional do Ministério Público, colegiado que preside. "No entanto, apenas no Brasil o Judiciário vinha entendendo que só se pode executar uma sentença após quatro instâncias judiciais confirmarem uma condenação. Esse exagero aniquila o sistema de Justiça exatamente porque a Justiça que tarde é uma justiça que falha", ponderou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos