Protesto em Brasília reúne pautas que não estão ligadas ao julgamento de Lula

Felipe Frazão

Brasília

O protesto em Brasília contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reúne na noite desta terça-feira, 3, uma série de pautas que não têm a ver com o pedido de habeas corpus do ex-chefe do Executivo: religiosos criticam o aborto, há faixas contra o comunismo e a favor de uma intervenção militar e, do carro de som, sobram gritos contra o uso de dinheiro público em campanhas, o novo Fundo Eleitoral.

Há muitos apoiadores do juiz Sérgio Moro e eleitores do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato a presidente. Os rostos de ambos estampam camisas de manifestantes. Por causa da chuva, organizadores convocaram, do carro de som, pessoas para voltar à Esplanada amanhã, dia do julgamento do recurso de Lula, mas os manifestantes permaneceram em frente ao Congresso.

O Movimento Limpa Brasil, que levou carro de som ao Congresso, deu a palavra há pouco a um dirigente Associação Comercial do Distrito Federal, instituição apresentada como parceira do grupo. O protesto tem música ao vivo: de sátiras a "Lula Santo" e à "mala de Geddel" a sucessos de Jorge Ben Jor.

Os governadores de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e do Piauí, Wellington Dias (PT), confirmaram viagem a São Paulo amanhã para assistir ao julgamento ao lado de Lula.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos