Sabesp inaugura sistema e aumenta oferta de água à população de SP

Letícia Fucuchima

Vargem Grande Paulista

A Sabesp inaugurou nesta terça-feira, 3, o Sistema Produtor São Lourenço, que captará até 6,4 mil litros de água por segundo na represa Cachoeira do França, em Ibiúna, e aumentará a oferta de água potável na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo a Sabesp, o novo volume de captação atenderá diretamente dois milhões de moradores de municípios da zona oeste da Grande São Paulo e reforçará o abastecimento em áreas hoje atendidas por outros sistemas - atingindo, indiretamente, 22 milhões de pessoas.

Em operação assistida desde o final de 2017, o empreendimento foi realizado por meio de uma parceria público privada (PPP) pelas construtoras Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, com um investimento de R$ 2,21 bilhões - o contrato de concessão tem 25 anos de duração, divididos em fase de obras e prestação de serviços.

Presente na cerimônia de entrega do sistema, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou em discurso, que não houve racionamento durante a crise hídrica de 2014-2015. "Não fechamos em nenhum momento o sistema", destacou o tucano, afirmando ainda que, se isso tivesse sido feito, teria ocorrido perda de água por ruptura dos encanamentos e prejudicado especialmente as populações mais pobres. "Resolvemos administrar a situação na madrugada com válvula redutora de pressão".

Em comentário sobre outra obra estruturante da Sabesp, a interligação Jaguari-Atibainha (que conecta o Sistema Cantareira à bacia do Rio Paraíba do Sul), o candidato à Presidência da República fez agradecimentos ao ministro do STF Luiz Fux e ao procurador-geral da República à época, Rodrigo Janot, por terem "chamado para si" o processo do litígio entre os três Estados envolvidos no empreendimento - São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais - e viabilizado o acordo entre as partes com a Agência Nacional de Águas (ANA).

Também presente na cerimônia, o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Benedito Braga, reiterou que a obra é fundamental para aumentar a segurança hídrica da Região Metropolitana de São Paulo.

Esse empreendimento, juntamente com a interligação Jaguari-Atibainha entregue na semana passada, trará maior "situação de conforto", diz o secretário: "Mesmo que tenhamos situação mais complicada do que a de 2014, não teremos as dificuldades que lá tivemos", garantiu. Braga finalizou sua fala com elogios ao presidenciável Alckmin, dizendo que torce para que "o que acontece em São Paulo aconteça em todo o País". O governador deixará o cargo para disputar o Planalto nas eleições deste ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos