Tribunal da Lava Jato nega ter curtido tuíte do general Villas Bôas

Luiz Fernando Teixeira e Fausto Macedo

São Paulo

Os administradores do perfil oficial do Twitter do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o Tribunal da Lava Jato - responsável pelos processos da operação em segunda instância -, em Porto Alegre, estão às voltas com um episódio insólito. A Corte busca explicação para o fato de a sua página na internet ter curtido na madrugada desta quarta-feira, 4, mensagens do general-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas.

"Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?", escreveu o militar, em sua conta no Twitter, na noite de terça, 3, sem citar nomes. Já na madrugada, as mensagens de Villas Bôas apareceram entre os tuítes curtidos pela página do Tribunal.

Após sofrer críticas nas redes de diversos seguidores sobre o aparente endosso ao pronunciamento do general, o perfil do TRF-4 publicou uma errata. "O TRF4 informa que não se manifestou por meio de curtida em nenhum tuíte nos dias 02 e 03 de abril. Estamos verificando o que ocorreu na página do twitter, tendo em vista que foram identificadas curtidas não realizadas pelos gestores do @TRF4_oficial."

O TRF-4 informou que está verificando o que aconteceu. A ação de hackers não está descartada.

A Corte destaca que como órgão público "não curte nada" e que procura fazer da sua página um informativo oficial sobre as atividades e julgamentos, sem emissão de comentários de natureza política. O Tribunal informou que a curtida não é uma postura institucional e não é seu entendimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos