Lideranças mudam tom e ressaltam que Lula não está desrespeitando a lei

Francisco Carlos de Assis, Eduardo Laguna e André Ítalo

São Bernardo do Campo

As lideranças sindicais e de movimentos sociais que discursam em frente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC acabam de mudar o tom de suas falas. Até poucos momentos antes da 17 horas, horário em que se encerrou o prazo para Lula se entregar à Polícia Federal, pregavam a resistência ao mandado de prisão e a desobediência civil, mas estão agora dizendo que o petista não está desrespeitando a lei.

De acordo com os líderes, Lula está em lugar público, certo e é sabido. "Nós não enfrentamos a lei. Aquele juiz de Curitiba [Sérgio Moro] deu ao presidente Lula a opção de se apresentar em Curitiba", disse a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman.

Gleisi falou para a militância em nome de Lula. Ela agradeceu o apoio de todos e disse que Lula não se entregou não foi para afrontar e desrespeitar a lei, mas para mostrar que "não somos gado que vai quieto para o matadouro".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos