Meirelles diz que 'mantém relação de trabalho e diálogo constante' com Temer

Fernanda Nunes

Rio

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), que pretende disputar as eleições presidenciais neste ano, afirmou que mantém "uma relação de trabalho e diálogo constante" com o presidente Michel Temer. Ele evitou, no entanto, comentar se vai disputar ou não a vaga de candidato à presidência da República com Temer, com quem mantém "uma relação muito boa e transparente", como afirmou após participar de evento promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Para exemplificar a proximidade com o presidente, Meirelles destacou a viagem que fez ao Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira, 9, ao lado de Temer para participarem juntos da cerimônia de posse de Dyogo Oliveira na presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no lugar de Paulo Rabello de Castro, pré-candidato à presidência pelo PSC.

"Continuamos discutindo os projetos em andamento. Ele (Temer) aceitou a minha indicação de sucessão no Ministério da Fazenda. Cada um na sua área, estamos colaborando nesse processo importante. Vamos estar cada vez mais empenhados em debater e dar uma perspectiva, porque, na medida que formos avançando no ano, cada vez mais, todos os investidores e empresários olharão para 2019", disse Meirelles.

O discurso do ex-ministro da Fazenda é pela continuidade das medidas econômicas e reformas iniciadas no governo de Temer, do qual fez parte. Ele argumenta que, se consolidadas, as medidas adotadas nos últimos anos poderão garantir um crescimento sustentável da economia nos próximos anos na casa dos 3,5% a 4%.

"É importante um foco do debate eleitoral também na economia, no sentido de discutirmos a necessidade de continuarmos a fazer as reformas no Brasil, de aumentarmos a capacidade de produzir e gerar mais empregos. Minha entrada no debate eleitoral vai qualificar o nível desse debate", afirmou.

Após deixar o ministério na última sexta-feira, 6, Meirelles iniciou uma agenda de viagens como pré-candidato para mobilizar segmentos econômicos e religiosos, além de diretórios regionais do MDB. Do Rio, ele parte ainda hoje para Porto Alegre, onde participará do Fórum da Liberdade. Em seguida, volta para Brasília para a posse do novo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, que deve acontecer nos próximos dias. Os compromissos seguintes serão em São Paulo, com segmentos evangélicos, e em Goiás, com o setor agropecuário.

Em São Paulo, vai se reunir com o pastor José Wellington Costa Júnior, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos