Organização repudia ataques a jornalistas em cobertura de prisão de Lula

São Paulo

A organização de defesa à liberdade de expressão Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denunciou nesta segunda-feira, 9, as agressões contra jornalistas durante a cobertura da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pela Operação Lava Jato. A instituição condenou o comportamento de manifestantes como "intolerável" e pediu que as autoridades respeitem o trabalho da imprensa.

No sábado, 7, ao menos oito jornalistas foram agredidos física ou verbalmente em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, informou a RSF. Outros ataques semelhantes foram registrados desde a quinta-feira, 5, quando foi decretada a ordem de prisão contra o ex-presidente.

"Os jornalistas brasileiros são injustamente tomados como alvo, vítimas da indignação dos manifestantes que os associam diretamente à postura editorial dos veículos para os quais trabalham. Se trata de um atentado grave à liberdade de imprensa, direito tão necessário nesses tempos turbulentos", declarou Emmanuel Colombié, Diretor Regional do Escritório para a América Latina da Repórteres sem Fronteiras, segundo a organização.

O Brasil é um dos piores colocados no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa feito pela RSF - o País é o 103º, entre 180 avaliados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos