Governo federal oferece ajuda ao Pará depois de mortes em presídio

Tânia Monteiro e Carla Araújo

Brasília, 11

Mais de 24 horas depois da tentativa de fuga que deixou 21 mortos em um presídio na região metropolitana de Belém, o Ministério da Segurança Pública distribuiu nota, na noite desta quarta-feira, 11, informando que o governo federal colocou a Polícia Federal e a Força Nacional à disposição do governo do Pará.

A nota diz ainda que o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, fez a oferta ao governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), durante um telefonema. O presidente Michel Temer ainda não se pronunciou sobre o ocorrido no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III, de Santa Izabel do Pará, apesar de ter adotado a segurança pública como uma de suas bandeiras desde a intervenção federal na segurança no Rio de Janeiro, em 16 de fevereiro.

No final da tarde desta quarta-feira, Temer e Jungmann se reuniram no Planalto para discutir a violência no Pará. Fontes do governo destacaram que as investigações e tratativas decorrentes do episódio no Pará estão sendo acompanhadas pela esfera estadual. De acordo com auxiliares do presidente, por não se tratar de um crime federal e ainda não ter sido registrada nenhuma solicitação de ajuda por parte do governador e nem da Justiça estadual, não há o que o governo federal possa fazer.

No mês passado, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou relatório alertando sobre risco de fuga na unidade onde ocorreram as mortes. Entre os problemas de segurança, o órgão apontou "facilidade de resgate com apoio externo", áreas de "vulnerabilidade" apenas com alambrado e "suspeita da articulação de internos com outras casas penais".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos