Topo

Lula pediu para receber visitas da família às quintas-feiras

Reprodução/Facebook
Lula em conversa gravada com Frei Betto no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC antes de ser preso Imagem: Reprodução/Facebook

Ricardo Brandt, enviado especial, e Fausto Macedo

Curitiba e São Paulo

11/04/2018 12h54Atualizada em 11/04/2018 13h13

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer receber visitas de familiares às quintas-feiras, na "cela" especial, espécie de sala de Estado-Maior, na prisão da Operação Lava Jato, em Curitiba. Preso e condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso apartamento triplex no Guarujá (SP), o petista completa nesta quarta-feira, 11, o quarto dia no cárcere para o cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês, em regime fechado.

O pedido para que as visitas de familiares ocorressem nas quintas partiu da defesa do ex-presidente. O advogado Cristiano Zanin Martins, que esteve com Lula em todos os dias de seu encarceramento até aqui, solicitou a data ao superintendente da Polícia Federal no Paraná, Maurício Valeixo, e ao delegado Igor Romário de Paula, que fazem os contato com os defensores.

Lula está em uma sala reservada especialmente para ele no quarto andar do prédio da PF, isolado dos demais presos da Custódia. Na segunda-feira, 9, o juiz federal Sérgio Moro registrou na Ficha Individual de execução provisória da pena de Lula que a sala de Estado-Maior e uma televisão - onde assistiu seu time do coração, o Corinthians, tornar-se bicampeão paulista no domingo, 8 - são os únicos benefícios concedidos a Lula em relação aos demais encarcerados.

O documento que serviu para abertura do processo de execução penal provisória da pena, pela juíza federal Carolina Moura Lebbos, destaca o veto a outros "privilégios". E o entendimento foi mantido pela juíza da 12ª Vara Federal - responsável pela execução penal em Curitiba.

"Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal", diz Moro.

Pela regra, Lula pode receber visitas de advogados a qualquer dia da semana - menos sábados, domingos e feriados - e de familiares, uma vez por semana, como ocorre com os demais encarcerados da PF.

As visitas de familiares na carceragem da PF, onde estão 20 presos comuns, ocorrem às quartas-feiras. A Custódia fica no segundo piso do prédio, isolado da sala de Estado-Maior de Lula. Entre os detentos estão o ex-ministro Antonio Palocci, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque.ão há ainda confirmação de quais familiares visitarão Lula, mas os filhos estão entre os que viajarão a Curitiba, segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo.