Barbosa teve desempenho aquém do potencial, diz presidente do PSB sobre pesquisa

Igor Gadelha

Brasília

  • Bruno Poletti/Folhapress/9.out.2016

    19.abr.2016 - Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal

    19.abr.2016 - Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal

A pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (15) mostrou um desempenho abaixo do potencial que o PSB espera do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa na disputa presidencial. A avaliação é do presidente nacional do partido, Carlos Siqueira.

"Acho que o resultado foi aquém do potencial que de fato ele (Barbosa) tem. O que acontece com o ministro Joaquim é que muitas pessoas não lembram o nome. Quando você mostra a fotografia, a pessoa lembra", afirmou Siqueira ao Broadcast Político.

O dirigente ponderou, contudo, que o resultado foi "excelente", quando se leva em conta que o ex-ministro sequer anunciou oficialmente a candidatura. "Veja que ele ultrapassou alguns que estão há meses e há anos. Ficamos satisfeitos, embora o resultado ainda não reflita o potencial", disse.

Leia também:

Barbosa foi incluído na pesquisa em todos os cenários testados. Ele oscilou entre 8% e 10% das intenções de voto, desempenho melhor do que outros presidenciáveis, como ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), que aparece com 6% e até 8%, no melhor dos cenários.

Para o líder do PSB na Câmara, deputado Julio Delgado (MG), a pesquisa mostra que o lançamento da candidatura de Barbosa é irreversível. "Com estes números, com uma semana de filiação, não tem mais volta", afirmou o parlamentar mineiro.

Delgado e Siqueira devem se reunir nos "próximos dias" com Barbosa para acertar detalhes do lançamento da pré-candidatura. "Ele deu o primeiro passo, agora vamos tratar do tema do lançamento, mas sem açodamento. Vai acontecer no momento oportuno", disse o presidente da legenda.

Mais detalhes

O Datafolha divulgado neste domingo mostra que o ex-presidente Lula lidera a corrida presidencial com 31% das intenções de votos no melhor cenário, mas viu a diferença diminuir em relação aos seus principais adversários após ser preso pela Operação Lava Jato. No levamento anterior, em janeiro petista tinha até 37%.

A nova pesquisa Datafolha, que foi feita entre quarta, 11, e sexta-feira, 13, teve como base 4.194 entrevistas em 227 municípios. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob número BR-08510/2018.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos