PUBLICIDADE
Topo

Volume de água armazenado no sistema Cantareira cai para 44,5%

11.mai.2018 - Vista aérea da represa do rio Jaguari, em Joanópolis, que integra o Cantareira - Luis Moura/Estadão Conteúdo
11.mai.2018 - Vista aérea da represa do rio Jaguari, em Joanópolis, que integra o Cantareira Imagem: Luis Moura/Estadão Conteúdo

Eduardo Laguna

São Paulo

24/06/2018 16h55

As represas do Sistema Cantareira, principal reservatório da Grande São Paulo, perderam desde o início do mês 3,6% do volume de água, em razão da baixa incidência de chuvas na região.

Balanço da Sabesp mostra que o volume útil armazenado no manancial, que estava em 453,5 milhões de metros cúbicos na medição feita no primeiro dia de junho, chegou hoje a 437,1 milhões de metros cúbicos se desconsiderada a reserva técnica, conhecida como volume morto, que só pode ser retirada com bombeamento em situações excepcionais.

Com isso, o sistema está operando com 44,5% da reserva útil total - sem considerar a reserva técnica -, abaixo dos 46,2% do início do mês, conforme a Sabesp. Um ano atrás, o estoque de água representava 67,5% da capacidade sem o volume morto.

A incidência de chuvas nos mananciais correspondeu, até agora, a 31% da média histórica de junho.