Topo

Bolsonaro caminhou à tarde e assistiu ao jogo Corinthians X Fluminense

Bolsonaro falou com a filha, Laura, pelo telefone - 15.set.2019 - Reprodução/Twitter
Bolsonaro falou com a filha, Laura, pelo telefone Imagem: 15.set.2019 - Reprodução/Twitter

Thaís Barcellos

São Paulo

15/09/2019 17h37

O presidente Jair Bolsonaro caminhou na tarde deste domingo (15) pelos corredores do hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde está internado, se recuperando de cirurgia para corrigir uma hérnia incisional. A informação é da assessoria de imprensa da Presidência da República. Segundo a assessoria, o presidente assistiu ao jogo entre Corinthians e Fluminense pelo Campeonato Brasileiro.

Mais cedo, em boletim, o hospital informou que seria iniciada hoje a redução da dieta endovenosa e que Bolsonaro estava respondendo bem à alimentação cremosa, introduzida ontem. O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, ainda afirmou, em coletiva de imprensa, que havia a expectativa da mudança para alimentação pastosa ainda hoje, mas que dependeria da avaliação do cirurgião responsável, Antônio Macedo. Macedo está realizando cirurgia durante todo dia hoje e ainda não fez atualização sobre o estado de Bolsonaro.

Segundo o porta-voz, com a retirada total da alimentação endovenosa e a passagem para alimentação pastosa, o presidente já poderia ter alta. Mas Rêgo Barros não se comprometeu com datas.

No Twitter, o presidente publicou hoje um vídeo conversando com a sua filha por chamada de vídeo no celular. Junto com a gravação, que não tinha o áudio da conversa, Bolsonaro disse que "estava matando a saudade da filha". E completou: "Depois de mais uma cirurgia, fruto do atentado praticado por um militante de esquerda contra minha vida, fiquei fora de combate por um tempo, mas o carinho da minha família e de todos que acreditam num Brasil melhor me ajuda a seguir lutando."

Em outra publicação, o presidente listou uma série de "tarefas cumpridas pelo governo" e, segundo ele, anunciadas na última semana, como a abertura do mercado de leite para o Egito, de carne para a Indonésia e a ampliação para a China, além da liberação do FGTS. Bolsonaro ainda citou a semana do Brasil, que, segundo ele, aumentou o comércio em 12% e o menor risco-país "em anos", entre outras medidas.

Mais Cotidiano