Topo

Witzel propõe dividir os desfiles das escolas de samba em dois fins de semana

Pelo quarto dia seguido, o governador do Rio, Wilson Sitzel (PSC), vai à Sapucaí - Gabriel Sabóia/UOL
Pelo quarto dia seguido, o governador do Rio, Wilson Sitzel (PSC), vai à Sapucaí Imagem: Gabriel Sabóia/UOL

Fábio Grellet

Rio

16/10/2019 20h16

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), defendeu hoje que o desfile das escolas de samba passe a ocorrer ao longo de dois finais de semana, a partir de 2021. Atualmente eles ocorrem nas noites de domingo e segunda-feira, durante o feriado do carnaval.

"O carnaval pode ter o mesmo modelo que o Rock in Rio, dois finais de semana, que aí você consegue manter o público a semana inteira. (Hoje) são sete desfiles por noite, a gente faz uma coisa que seja mais cômoda para todo mundo assistir. Podemos mudar o formato dos desfiles, fazer o turista ficar mais tempo, ao longo de toda a semana", afirmou Witzel. O governador deu entrevista na abertura do Apresenta Rio Summit, evento que discute inovações e dificuldades do setor de entretenimento, em um hotel de Copacabana.

Segundo a proposta do governador, o Sambódromo teria atrações ao longo de três fins de semana seguidos, já que no sábado seguinte ao carnaval há o desfile das campeãs, que reúne as seis escolas mais bem colocadas.

"Talvez também um terceiro final de semana, para o Desfile das Campeãs. Nada para 2020, mas para 2021 precisamos repensar a atual estrutura. E também faremos uma reforma no Sambódromo, mudando toda a estrutura de iluminação", afirmou o governador.

A divisão dos desfiles em dois finais de semana não estava em debate na Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), entidade que organiza o evento. Mas a Liesa precisa de novas fontes de recursos, porque a prefeitura do Rio parou de subvencionar as escolas e os enredos patrocinados têm sido raros.

Também nesta quarta, o governador anunciou que o Estado vai investir R$ 30 milhões no carnaval de 2020. Ele não detalhou a aplicação dessa verba, mas, se ao menos parte desse dinheiro for para as escolas, a Liesa pode aderir à proposta do novo calendário.

A reforma da iluminação, citada pelo governador, também atende à Liesa. Há muitos anos as escolas reclamam que o Sambódromo carece de iluminação semelhante à dos teatros, que permita valorizar o desfile.

Cotidiano