PUBLICIDADE
Topo

Argentina estuda prorrogar quarentena; NY tem recorde de mortes por covid-19

09/04/2020 14h28

São Paulo - O presidente da Argentina, Alberto Fernández deve decidir nesta quinta-feira, 9, sobre a prorrogação das medidas de isolamento social que vem sendo adotadas no país desde o dia 20 de março. O presidente argentino já sinalizou pela prorrogação e disse que deve ampliar as restrições nos grandes centros urbanos.

A expectativa é que a quarentena seja renovada para durar até 27 de abril, mas já falou em flexibilização das medidas em algumas localidades. As informações são do jornal La Nación.

Segundo a Universidade Johns Hopkins, que compila dados sobre as infecções do novo coronavírus em todo o mundo, a Argentina confirmou 1.795 casos de covid-19 e 70 mortes pela doença.

EUA

Em Nova York, nos Estados Unidos, o governador Andrew Cuomo disse nesta quinta, em coletiva de imprensa, que o Estado está "muito distante" de vencer a batalha contra o coronavírus, apesar dos números já mostrarem um achatamento na curva de novas contaminações. Ele reforçou a necessidade da manutenção das medidas de restrição. "Não subestime o vírus. Este é um erro que cometemos desde o primeiro dia."

Nesta quinta, de acordo com Cuomo, o Estado registrou seu recorde de mortes em um período de 24 horas: 799, o que elevou o total de vítimas fatais para 7.067.

O recorde de mortos em 24 horas vem sendo renovado em Nova York há três dias consecutivos.

Nos Estados Unidos, como um todo, de acordo com a Johns Hopkins, 432.596 mil pessoas já foram infectadas e 14,8 mil morreram por causa da covid-19.

Nesta quinta, completam-se 80 dias desde que o primeiro caso foi confirmado lá.

Mundo

Em todo o mundo, são mais de 1,5 milhão de contaminados e 90 mil óbitos.

Itália

A Itália continua sendo o país com mais vítimas fatais. De acordo com a Defesa Civil italiana, 18.279 já perderam a vida por causa da doença, com 610 mortes a mais do que o divulgado na quarta. Os infectados são 143.626 na Itália.

Espanha

Na Espanha, mais 683 pessoas morreram de covid-19 da quarta para a quinta. No total, houve 15.238 óbitos no país e 152.446 contaminações, 5,7 mil a mais do que havia na quarta.

Gregory Prudenciano

Cotidiano