PUBLICIDADE
Topo

Política

Petista, ex-aliado de Wilson Witzel deu aval a processo de impeachment

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio, André Ceciliano (PT) - PAULO CARNEIRO/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO
O presidente da Assembleia Legislativa do Rio, André Ceciliano (PT) Imagem: PAULO CARNEIRO/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO

Caio Sartori

12/06/2020 08h35

Foi tudo meio por acaso. Primeiro, doenças; depois, prisões; por último, a confusão do bolsonarismo. Hoje responsável por abrir o processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel (PSC), o petista André Ceciliano chegou à Presidência da Assembleia Legislativa do Rio para um mandato-tampão em novembro de 2017. Foi reeleito no início do ano passado, em pleno auge do bolsonarismo, num Estado em que o PT quase inexiste a nível local.

Bem relacionado - já foi considerado, inclusive, aliado do governador -, Ceciliano está na Alerj desde 1999, com uma pausa no período em que assumiu a prefeitura do município de Paracambi.

Em 2019, com o pragmatismo e a tentativa de agradar a todos que lhes são característicos, foi um importante articulador para Witzel enquanto o mandatário via o bolsonarismo se esvair da base governista.

A sessão que autorizou a abertura do processo ficou marcada pelos elogios ao deputado.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política