PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Wiz diz que foi surpreendida por ação da polícia na sede da empresa

                                 A Polícia Federal e a Receita Federal                               -                                 Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil
A Polícia Federal e a Receita Federal Imagem: Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil

Beth Moreira

26/11/2020 16h12

A Wiz, alvo de busca de apreensão da Polícia Federal na manhã de hoje, diz que foi surpreendida com a ação da nova fase da Operação Descarte, denominada Canal Seguro, para investigar uma organização criminosa dedicada à gestão fraudulenta e ao desvio de valores de instituição financeira, além de crimes contra a ordem tributária e lavagem de ativos. A empresa informa que a polícia investiga atividades entre 2014 e 2016, em gestão anterior da companhia.

Em nota enviada ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a empresa reitera que segue à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento necessário. "Sendo a maior interessada na elucidação dos fatos, a companhia tomará todas as medidas necessárias para identificar eventuais irregularidades", diz.

A empresa reiterou ainda o compromisso com a ética, a transparência e as boas práticas de gestão, base do trabalho realizado ao longo de 47 anos de atuação.

Segundo a PF, são cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A Justiça determinou ainda o bloqueio de mais de R$ 27 milhões dos investigados, além do sequestro de um apartamento no Rio de Janeiro, avaliado em R$ 5,5 milhões.

Cotidiano