PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid-19: coordenador aponta para o risco de esgotamento dos leitos de UTI em SP

UTI destinada a pacientes com covid-19 no hospital Emílio Ribas, em São Paulo  - Reinaldo Canato/UOL
UTI destinada a pacientes com covid-19 no hospital Emílio Ribas, em São Paulo Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Matheus de Souza e Pedro Caramuru

São Paulo

24/02/2021 13h26

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 no estado de São Paulo, Paulo Menezes, afirmou que o comitê está "preocupado" com a alta de novas internações de pacientes com a covid-19 e disse que, caso se mantenham as atuais taxas, a expectativa é de que os leitos de UTI disponíveis no estado sejam esgotados em até 3 semanas.

"O estado de São Paulo ainda tem um número considerável de leitos disponíveis, mas se nós olhamos para o futuro, nós temos uma previsão bastante preocupante que é de poder esgotar os recursos de leitos de UTI em aproximadamente 3 semanas", afirmou Menezes.

"Temos vistos situações de mudança muito rápida de situação, regiões ou municípios que estavam relativamente, se eu posso dizer, confortáveis em termos de índices, de indicadores da pandemia e de disponibilidade de leitos, e que rapidamente —em uma, duas semanas— viram a situação mudar e hoje passam por uma situação bastante dramática", completou.

Entre os motivos para o avanço da doença, Menezes citou aglomerações que ocorreram há cerca de 10 dias, mas ressaltou que pode haver influência de outros fatores. Afirmou que as autoridades estão discutindo bastante a questão da introdução de variantes do Sars-Cov-2

Restrição de circulação das 23h às 5h

Hoje, o governo estadual decretou toque de restrição, das 23h às 5h, a partir de sexta-feira (26), como forma de conter o avanço da doença. Segundo Menezes, as medidas visam coibir aglomerações noturnas e festas clandestinas, bem como de reuniões "que parecem inofensivas".

"Reuniões de dez, 15 , 20 pessoas vão até mais tarde e é onde ocorre grande transmissão do vírus em muitas situações", disse.

Coronavírus