PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Correção: Prefeito de Taguaí morre após contrair covid

José Maria Tomazela

Sorocaba

17/04/2021 15h49

Att. Srs. Clientes,

A nota enviada anteriormente continha um erro no segundo parágrafo: o prefeito de Taguaí foi diagnosticado no dia 19, e não no dia 29 de março. Segue versão corrigida:

A covid-19 causou a morte de mais um prefeito no exercício do mandato, no interior de São Paulo. O prefeito de Taguaí, Jair Cariovaldo Carniato (PTB), de 62 anos, morreu nesta sexta-feira, 16, após 18 dias internado com sintomas graves da doença. É o nono prefeito paulista vitimado pelo coronavírus desde o início da pandemia, em março de 2020. Carniato já havia sido vereador por dois mandatos e estava à frente da prefeitura pela quarta vez. O vice-prefeito Eder Carlos Fogaça (Republicanos) assumiu a prefeitura.

Carniato foi diagnosticado com a doença no dia 19 de março, mas continuou trabalhando remotamente. Dez dias depois, foi internado e no dia 1º de abril, já em estado grave, foi transferido para a UTI de um hospital particular de Londrina, no norte do Paraná. Ele chegou a ser intubado devido às complicações da doença, mas não resistiu. Seu sepultamento aconteceu nesta sexta, no Cemitério Municipal de Taguaí.

A prefeitura divulgou nota lamentando a morte. "Hoje o povo de Taguaí está triste e chora a perda de um taguaiense que dedicou sua vida ao município", diz a publicação. Foi decretado luto oficial.

Outros Casos

No último dia 7 foi registrada a morte de João Carlos Rainho (PSDB), prefeito de Dirce Reis, vítima da covid. No dia 1º deste mês, a doença matou o prefeito de Hortolândia, Angelo Perugini (PSD) e, em 29 de março, o prefeito Tarek Dargham (PTB), de Guararapes.

No ano passado, haviam morrido após contrair o coronavírus Antonio Shigueyuki Aiacida (PSD), prefeito de Mairiporã; Benedito da Rocha Camargo Junior (PSD), de Pardinho; Wair Jacinto Zapelão (PSDB), de Santa Clara d'Oeste; Rodrigo Santana Rodrigues (DEM), de Santo Antônio de Aracanguá, e Antônio Carlos Vaca (PSDB), de Borebi, a primeira vítima.

Cotidiano