PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Pague Menos negocia compra da Extrafarma

18/05/2021 15h19

São Paulo - A rede de farmácias Pague Menos informou nesta terça-feira, 18, que está em negociação para uma potencial transação envolvendo a aquisição da Imifarma Produtos Farmacêuticos e Cosméticos (Extrafarma), mas que até o presente momento não há qualquer contrato vinculante celebrado acerca de uma eventual transação, assim como não há qualquer garantia sobre a efetivação de negócio entre a companhia e a Extrafama. O comunicado veio após a agência de notícias Reuters informar que a Pague Menos tinha fechado na noite de segunda-feira, 17, a compra da Extrafarma, do conglomerado Ultrapar, por R$ 600 milhões, de acordo com fontes.

Segundo a agência de notícias, o negócio tornaria a Pague Menos a segunda maior varejista de drogarias do Brasil, atrás apenas da Raia Drogasil SA.

Atualmente, a Pague Menos é a terceira maior rede do setor. A aquisição da Extrafarma aumentaria em mais de um terço o número de lojas da Pague Menos, para um total de 1.503 unidades, reforçando sua presença principalmente nas Regiões Norte e Nordeste do Brasil, segundo uma das fontes. A Extrafarma possui 402 lojas.

Ainda de acordo com a Reuters, Pague Menos, que tem como investidor a empresa americana de private equity General Atlantic, pagaria R$ 300 milhões pela fatia da Ultrapar quando o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) der sinal verde ao negócio.

O restante seria pago nos próximos dois anos, em duas parcelas iguais. O valor total da Extrafarma foi definido em R$ 700 milhões, considerando dívida e caixa.

Se confirmada, essa seria a primeira aquisição feita pela Pague Menos desde que estreou na B3, a Bolsa brasileira, em agosto. Neste ano, suas ações acumulam alta de 19%, superando o índice de ações local.

A Ultrapar decidiu se desfazer da Extrafarma como parte de uma grande reorganização de seu portfólio, para se concentrar no setor de óleo e gás.

O grupo está em negociações exclusivas com a Petrobras para a aquisição da refinaria Regap, localizada no Rio Grande do Sul.

Niviane Magalhães

Cotidiano