PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Lula sobre prisão de Milton Ribeiro: 'Defendo o direito de defesa para todos'

São Paulo

23/06/2022 12h33

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou nesta quinta-feira, 23, a gestão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, preso pela Polícia Federal nesta quarta. "Aquela reunião dele distribuindo dinheiro para pastor é uma vergonha nacional", disse Lula durante entrevista à Rádio Difusora, de Manaus (AM). Sobre as suspeitas que levaram à prisão de Ribeiro e dos pastores que atuaram com o MEC, o petista preferiu a cautela.

O ex-presidente, que durante o dia da operação contra os pastores não se pronunciou sobre o caso, afirmou agora que "defende o direito de defesa para todo mundo" e que considera esse um valor "monumental da democracia" no Brasil. "A Justiça decide se vai prender ou não", disse. "Mas que ele foi mal ministro da Educação, foi", completou. Lula era o único dos presidenciáveis que não havia comentado a prisão.

Ribeiro foi preso na manhã de quarta-feira, 22, no âmbito da investigação sobre o 'gabinete paralelo' no Ministério da Educação (MEC), usado para favorecer pastores na distribuição de verbas da pasta. O esquema foi revelado pelo Estadão em março. Ao todo, foi decretada a detenção preventiva de 5 pessoas, incluindo os pastores Arilton Moura e Gilmar dos Santos, pivôs do caso.

Sem possuir vínculos com o setor de ensino ou cargo público, um grupo de pastores, ligados a Milton Ribeiro e comandado pela dupla Arilton Moura e Gilmar dos Santos, passou a comandar a agenda do ministro da Educação e interferir na liberação de verbas, além de influenciar diretamente ações da pasta. Os pastores são próximos da família Bolsonaro e estiveram no Palácio do Planalto em diversos eventos públicos e reuniões fechadas.

À época da revelação do escândalo pelo Estadão, o presidente Jair Bolsonaro (PL) reagiu afirmando que colocaria a "cara no fogo" por Ribeiro. Após anúncio da prisão do ex-ministro, o presidente mudou o tom e destacou que "a Polícia Federal tem autonomia" para investigar suspeitas. "Ele que responda pelos atos dele. Eu peço a Deus que não tenha problema nenhum. Mas, se tem algum problema, a PF está agindo, está investigando", disse Bolsonaro.

Outros pré-candidatos à Presidência e, inclusive, integrantes do PT reagiram imediatamente à prisão de Milton Ribeiro com manifestações de indignação, declarações irônicas sobre as falas contraditórias do presidente Jair Bolsonaro e críticas à gestão do MEC em publicações nas redes sociais.

Direito de defesa

Lula readquiriu o direito de ser candidato nas eleições de 2022 depois da anulação de condenação judicial na operação Lava Jato, determinada pelo ex-juiz Sérgio Moro. Em 2018, enquanto estava preso pelo caso do tríplex do Guarujá, o ex-presidente chegou a ser anunciado como pré-candidato do PT à Presidência mas, devido às regras da Justiça Eleitoral, foi substituído na disputa por Fernando Haddad (PT).

Cotidiano