BID anuncia US$ 2 mi para dar início a rede de pesquisa em biodiversidade na região amazônica

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Godfajn, anunciou investimento de US$ 2 milhões para dar início aos trabalhos da rede de pesquisa e inovação em biodiversidade na região amazônica.

A rede, composta por oito institutos de pesquisa de países que compartilham a floresta, faz parte do programa Amazônia Sempre, criado no ano passado e assinado por governos do Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru e Suriname.

Os recursos são iniciais, a fundo perdido, para ajudar a rede a se estabelecer e a organizar os temas e os projetos que serão eleitos. Depois, quando os projetos estiverem definidos, o BID entrará com o financiamento.

"Já descobrimos que apenas tentar financiar os projetos não é suficiente, temos de ajudar a capacitar, a gerar o projeto e quando estiver pronto, daí se pode emprestar", disse em conversas com jornalistas durante visita ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em Manaus.

O presidente do BID ressaltou ser fundamental que essas pesquisas possam trazer resultado do ponto de vista de negócios à região e oportunidade de trabalho a população. "Essa rede vai trazer conhecimento e incentivar projetos de inovação e biodiversidade para preservar a floresta e melhorar as condições de vida das populações", disse.

Segundo ele, sustentabilidade não é focar no desmatamento e não incorporar as comunidades e as pessoas. "Sustentabilidade ambiental está relacionada com a qualidade de vida das pessoas", afirmou.

O programa Amazônia Sempre envolve um conjunto de redes de municípios, estados brasileiros, dos países amazônicos, de pesquisa, rede de bancos públicos e bancos privados. "O BID é a ponte entre a região e o resto do mundo, trazendo recursos e coordenando para a região", afirmou.

Os trabalhos para dar início às discussões sobre os projetos começam amanhã. O presidente do BID e os jornalistas visitaram o Bosque da Ciência, dentro do INPA, onde estão vários filhotes de peixes boi, espécie da região e em extinção, que perderam suas mães durante pesca clandestina.

*a repórter viajou a convite do BID

Deixe seu comentário

Só para assinantes