Cidade de Minas registra dois tremores de terra, e município de SP sente efeitos

A cidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, sentiu os efeitos de um tremor de magnitude 4.0 registrado na manhã desta terça-feira, 18, em Frutal, município do Triângulo Mineiro - as duas cidades ficam a uma distância de cerca de 115 quilômetros. A informação é da Defesa Civil de São Paulo.

O abalo sísmico foi confirmado pelo Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UNB), que chegou a registrar outro tremor, também em Frutal, e de magnitude menor - 3.2 - 11 minutos depois do primeiro abalo sismológico.

O tremor foi sentido em alguns prédios e em uma escola de Frutal, e não houve feridos e nem reflexos significativos ou riscos para a população local, que ficou "curiosa e em pânico", segundo a prefeitura da cidade mineira.

Imagens de monitoramento divulgadas pela administração municipal e pela Defesa Civil de Minas Gerais mostram o tremor fazendo chacoalhar prateleiras em um depósito, e até parte de um teto de uma casa cedendo e caindo.

Segundo os registros do Observatório da UNB, o primeiro tremor aconteceu às 10h08 (horário de Brasília) e o segundo, às 10h19, desta terça-feira.

"Desde então, a Defesa Civil do município está estabelecendo contato com os órgãos competentes, como a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), a Rede Sismográfica do Brasil (RSBR) e o Serviço Geológico do Brasil (SGB)", informou a Defesa Civil de Minas Gerais em nota conjunta com a prefeitura de Frutal.

Os tremores não chegam a ser uma novidade no município. Desde 2015, Frutal já registrou 22 abalos sísmicos e, desde abril de 2023, "há um sequência de tremores nessa região sempre com magnitude menores que 3", informou o Observatório da UNB em nota. O de maior magnitude, porém, foi o desta terça.

"O evento foi novidade para todos, causando pânico e curiosidade. Pedimos que mantenham a calma e, caso ocorram novos tremores, procurem espaços abertos, longe de estruturas, como casas, prédios, outdoor e árvores", continuou o comunicado.

A Defesa Civil de Minas orientou aos moradores para, caso percebam o surgimento de rachaduras pela estrutura ou outros danos estruturais significativos, que entre em contato com o órgão através do número 199.

Conforme o Observatório Sismológico, a grande maioria dos tremores têm causas naturais e se devem a pressões geológicas que atuam na crosta terrestre.

"O tremor que as pessoas sentem é resultado de uma movimentação repentina em alguma falha ou fratura, que "escorrega por causa das pressões geológicas".Ainda assim, apesar do desconforto causado pelos tremores, é muito pouco provável que eles venham ocasionar problemas maiores", disse a entidade.