UOL Notícias Notícias
 

04/01/2008 - 10h14

Juros futuros recuam à espera de dados dos EUA

São Paulo - O mercado de juros futuros iniciou o pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) novamente com viés de baixa, estimulado pelo resultado do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que ficou em linha com as expectativas, mostrando desaceleração na alta dos preços dos alimentos.

Mas o que deve determinar o rumo dos negócios hoje, no entanto, é a divulgação dos dados sobre o mercado de trabalho em dezembro nos EUA, especificamente do número de vagas de trabalho criadas (payroll), que saem às 11h30 (horário de Brasília), e devem ajudar o mercado a afinar os cenários traçados para o rumo da economia norte-americana. Até que o indicador seja conhecido, os mercados devem operar na retranca, com baixo volume de negócios.

Na espera pelos dados, a maioria das bolsas européias e os índices futuros das bolsas norte-americanas operam com leve alta. A previsão consensual de analistas consultados pela Dow Jones é que 50 mil vagas foram criadas na economia norte-americana em dezembro. Para a taxa de desemprego, a projeção é de 4,8%. Além do relatório sobre o mercado de trabalho, o índice ISM de atividade do setor de serviços em dezembro sai às 13 horas (também no horário de Brasília). Há expectativa também com o discurso que o vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA), Donald Kohn, fará às 14h15 (de Brasília) sobre "conhecimento especializado e política macroeconômica".

Antes que os números sejam conhecidos, o resultado do IPC da Fipe, contribui para o alívio nas taxas dos contratos futuros de juros. O índice subiu 0,82% em dezembro, dentro do intervalo de projeções, de 0,72% a 0,95%. Embora a taxa represente uma elevação expressiva em relação a novembro, quando o IPC subiu 0,47%, a boa notícia é que o indicador mostrou desaceleração da alta dos produtos de alimentos em relação à terceira prévia do mês (2,02% ante 2,44%). Contribuindo para isso, os preços dos alimentos "in natura" já mostram um movimento bem mais favorável (-0,65% ante 0,63% da terceira prévia) e as carnes apresentam enfraquecimento da alta de preços (o item carnes bovinas passou de 8,62% para 6,70%).

Às 10h12, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 projetava taxa de 12,79% ao ano, ante o fechamento de ontem a 12,83%; o DI com vencimento em janeiro de 2012 tinha taxa de 12,80% ao ano, de 12,81% ontem.

Lucinda Pinto

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host