UOL Notícias Notícias
 

22/01/2008 - 15h57

Bolsas da Europa se recuperam e fecham em alta

Londres - As principais bolsas européias fecharam em alta hoje, com os investidores comemorando o movimento do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de reduzir o juro em 0,75 ponto porcentual em um esforço para impulsionar a maior economia do mundo. "Este corte de hoje envia um sinal aos mercados de ações de que o Federal Reserve está alerta à fraqueza do crédito e do consumidor e agora está tentando ficar à frente da curva", disse o gerente de fundos da Resolution Asset Management, Alison Porter,.

Em Londres, o índice FT-100 subiu 2,90% e fechou com 5.740,10 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 2,07% e fechou com 4.842,54 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax caiu 0,31% e fechou com 6.769,47 pontos.

Inicialmente, as ações européias oscilaram em queda acentuada, com os investidores bastante nervosos com relação à perspectiva de que uma recessão nos EUA vai levar a uma desaceleração econômica mundial e reduzir os lucros corporativos.

O Fed, ao anunciar um movimento incomum de corte no juro antes do encontro regular marcado para a próxima semana, disse que tomou esta ação "na visão de um enfraquecimento da perspectiva econômica e crescente risco de baixa para o crescimento". O corte de 0,75 ponto, para 3,50% ao ano, foi o maior já anunciado pelo Fed em mais de 20 anos.

Em termos de implicações para a política monetária na Europa, os estrategistas disseram que é altamente improvável que o Banco Central Europeu (BCE) siga o movimento do Fed. "Eu não penso que o BCE vai se mexer (da taxa) de 4% no curto prazo, uma vez que seu mandato ainda é claramente os riscos de inflação", disse outro analista em Londres.

Contudo, alguns estrategistas disseram que os mercados de ações ainda não estão fora de perigo em termos do total impacto de uma recessão nos EUA. "Desespero é a palavra. O corte no juro pode servir para assentar as bases para uma virada em alta, mas está claro que não vai ajudar neste momento. A temporada de balanços corporativos ainda será dominada por rebaixamentos", disse o chefe de pesquisa em ações da Charles Stanley Stockbrokers em Londres, Jeremy Batstone.

Em Madri, o índice Ibex-35 subiu 1,69% e fechou com 12.839,70 pontos; em Milão, o índice S&P/MIB avançou 1,18% e fechou com 34.302 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 1,30% e fechou com 10.963,97 pontos. As informações são da Dow Jones.

Suzi Katzumata

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host