UOL Notícias Notícias
 

16/04/2008 - 10h48

PF busca acusados de explorar corais em 11 Estados

São Paulo, SP - A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal, deflagrou hoje a Operação Nautilus, que visa reprimir a extração, comércio e exportação ilegais de fragmentos de recifes de corais brasileiros, destinados ao mercado nacional e internacional de aquariofilia. Os policiais estão cumprindo 14 mandados de prisão temporária, 64 mandados de busca e apreensão e 53 mandados de condução coercitiva nos Estados de Pernambuco, Bahia, Paraíba, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal. Foram efetuadas também buscas na Alemanha, Holanda e Dinamarca e instauradas ações investigativas no Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, França e Argentina.

No decorrer das investigações de duas empresas e uma exportadora, em 2007, foram descobertas 16 toneladas de corais para consumo interno e 20 toneladas que seriam exportadas. Já em 2008, foram detectadas extrações ilegais de 90 toneladas de corais do litoral norte de Pernambuco, Bahia e Espírito Santo, que abasteceriam o mercado internacional. No mercado interno, os corais eram extraídos e enviados para 23 empresas localizadas em oito Estados brasileiros. A comercialização ilegal de corais alimenta a indústria de ornamentação de aquários, tendo como principais destinatários países como Argentina, Canadá, Reino Unido, França, Holanda, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Itália, Grécia e Áustria.

Os presos irão responder pelos crimes ambientais (Lei nº 9.605/98) de exploração de campos naturais de invertebrados aquáticos sem licença (detenção de um a três anos ou multa), transporte e comércio de espécimes de coleta, apanha ou pesca proibida (detenção de um a três anos ou multa), extração ilegal de recursos minerais (pena de detenção de seis meses a um ano), bem como por formação de quadrilha (pena de reclusão de um a três anos), contrabando, cuja pena varia de dois a oito anos de prisão, falsidade ideológica - reclusão de um a cinco anos -, receptação qualificada, com reclusão de três a oito anos e multa e usurpação de patrimônio da União, cuja detenção varia de um a cinco anos.

Paulo R. Zulino

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host