UOL Notícias Notícias
 

21/12/2008 - 17h21

Regiões norte e noroeste do Rio continuam alagadas

Rio - A chuva deu uma trégua mas, mesmo assim, o alagamento das regiões norte e noroeste do Estado do Rio não diminuiu e há perspectivas de piora nos próximos dias. Os temporais que atingiram o Estado na última semana e que deixaram três mortos, mais de 30 mil pessoas desalojadas e duas mil pessoas desabrigadas, foram tão intensos que arrebentaram diques da região, elevando o nível dos rios e deixando bairros completamente embaixo d'água. "Tem muitos diques sendo destruídos. Não há nem como contabilizar", alertou o comandante da Defesa Civil do município Campos dos Goytacazes, Henrique Oliveira.

Campos é uma das 12 cidades que permanecem em estado de emergência, segundo a Defesa Civil Estadual. Oliveira explicou que o nível do rio Paraíba do Sul, que corta a maioria dos municípios da região, diminuiu de 10,6 metros para 9,9 metros, de sábado para domingo, mas isso não aliviou a inundação. Campos está sendo atingida pelas águas do rio Muriaé, afluente do rio Paraíba, cuja enchente está sendo agravada pelo rompimento dos diques. Para o comandante, não há como fazer barreiras para impedir o aumento do nível das águas.

"Temos famílias com casas completamente alagadas e esperando em cima das lajes por socorro", disse. O governador do Estado do Rio, Sergio Cabral, anunciou que será montado um hospital de campanha no município de Cardoso Moreira, uma das cidades mais atingidas pelas chuvas que assolaram o estado na última semana e que permanece em estado de calamidade pública. Quatro helicópteros, oito barcos e 350 homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil trabalham na ajuda e resgate das famílias.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host